Grupos de Pesquisa

Grupo de Estudos Transdiciplinares em Educação em Saúde e Ambiente (GETESA)

Líderes: Ulisses Eugenio Cavalcanti Confalonieri e Tatiana Chama Borges Luz

 O Grupo tem por missão produzir conhecimento e formar recursos humanos nas grandes áreas de Educação, Ambiente e Assistência Farmacêutica por meio de atividades de pesquisa, ensino e extensão. Dessa forma, os projetos desenvolvidos pelo Grupo incluem aqueles voltados para educação em saúde e avaliação de alternativas de controle dos vetores da esquistossomose e dengue, pela utilização de produtos naturais e inovações tecnológicas, realizando atividades de ensino, desenvolvendo e avaliando materiais educativos e estratégias relativas à prevenção de doenças e promoção da saúde, com ênfase na participação da população das áreas atendidas. Também busca promover a divulgação científica na área da saúde, criando atividades que estimulem o diálogo entre cientistas e a população, de modo a despertar jovens para a vocação científica e a ampliar a construção do conhecimento científico, estimular a reflexão crítica e o exercício da cidadania.

As atividades atualmente desenvolvidas pelo Grupo incluem projetos nas áreas de:

  • Educação em Saúde;
  • Trabalho, Educação e Saúde;
  • Mudanças Climáticas;
  • Vulnerabilidade Sócio-ambiental e Saúde;
  • Desenvolvimento e Avaliação de Tecnologias Inovadoras em Saúde;
  • Farmacoepidemiologia e Assistência Farmacêutica e Estudos de Utilização de Medicamentos

 

Pesquisa Clínica e Políticas Públicas em Doenças Infecciosas e Parasitárias (PCPP)

 Líderes: Ana Rabello e Zélia Profeta

O Grupo tem a missão de realizar pesquisa, desenvolvimento tecnológico, inovação e formação de recursos humanos relacionados a diagnóstico, clínica, terapêutica e controle de doenças infecciosas e parasitárias de importância social no Brasil. Teve origem em 1997, com a criação do Laboratório de Pesquisas Clínicas (LPC), que incluía um centro de atendimento ambulatorial e realizava atividades de pesquisas em leishmaniose e esquistossomose. Em 2005, o ambulatório e o LPC foram credenciados como Laboratório de Referência Nacional em Leishmaniose Tegumentar para o Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública (SISLAB) da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde. Em 2015, a re-estrututação do Grupo, agora PCPP, marcou a ampliação oficial dos seus objetivos para além da pesquisa clínica com foco em leishmaniose, abrangendo também outras doenças infecto-parasitárias e estudos na área de avaliação de políticas em saúde, incluindo revisões sistemáticas e análises econômicas com foco na avaliação de tecnologias em saúde (ATS).

Atividades atualmente desenvolvidas:

  • Pesquisa clínica em leishmanioses;
  • Desenvolvimento e avaliação de novas estratégias diagnósticas para doenças infecciosas e parasitárias;
  • Avaliação experimental de novas abordagens terapêuticas para as leishmanioses;
  • Avaliação de tecnologias em saúde para doenças infecciosas e parasitárias;
  • Avaliação de políticas públicas em doenças infecciosas e parasitárias;
  • Avaliação e proposta de organização de serviços de saúde.

 

Núcleo de Estudos em Saúde Pública e Envelhecimento (NESPE)

Líderes: Maria Fernanda Lima e Costa e Sérgio Viana Peixoto

O Grupo tem como missão desenvolver pesquisas em saúde pública, com ênfase em saúde do idoso. Atualmente, o Grupo coordena três grandes projetos: (1) Coorte de Idosos de Bambuí, estudo longitudinal de base populacional com 15 anos de acompanhamento; (2) EPIGEN-Brasil – Epidemiologia genômica de doenças complexas em coortes brasileiras de base populacional; e (3) ELSI-Brasil – Estudo longitudinal da saúde dos idosos brasileiros, conduzido em uma amostra representativa da população brasileira com 50 anos e mais de idade. O NESPE possui um servidor de alta performance para armazenamento e análise de grandes bancos de dados, incluindo aqueles de varredura genômica, dos 15 anos de seguimento da Coorte de Idosos de Bambuí, do ELSI-Brasil, além de dados secundários, sobretudo aqueles referentes à Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013) e Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio (PNAD 1998, 2003 e 2008). O NESPE mantém ainda uma bioteca da coorte de Bambuí, com cerca de 11.000 alíquotas de soro, plasma e sobrenadante de leucócitos em três freezers, que são mantidos em salas frias existentes no IRR – Fiocruz Minas para esse fim. Além das atividades descritas acima, desenvolve projetos na área da Antropologia do Envelhecimento, de forma isolada ou complementando resultados provenientes dos estudos epidemiológicos, promovendo um conhecimento interdisciplinar no que se refere à saúde do idoso.

Dessa forma, os projetos atualmente desenvolvidos pelo Grupo incluem as áreas de:

  • Epidemiologia do Envelhecimento;
  • Antropologia da saúde do idosos.

 

Políticas Públicas e Direitos Humanos em Saúde e Saneamento (PPDH)

 Líderes: Leo Heller e Celina Maria Modena

O Grupo tem por missão desenvolver atividades de ensino, pesquisa e cooperação institucional, com uma perspectiva interdisciplinar, no campo das políticas públicas e direitos humanos aplicados à saúde e ao saneamento. Desenvolve, portanto, a partir da experiência acumulada de seus pesquisadores e da área de interesse de estudantes de graduação, mestrado e doutorado, trabalhos de pesquisa, formação e cooperação institucional, na confluência dos campos que o denominam. O Grupo avalia que trabalhos de investigação no campo das políticas públicas de saúde e de saneamento, desenvolvidos sob a perspectiva dos direitos humanos, apresenta importante potencial para contribuir para a construção inovadora de conhecimentos, além de reorientar as políticas públicas a partir de uma visão voltada para os interesses dos cidadãos, com impacto social. Assim, empregam-se marcos teórico-metodológicos que possibilitam a aproximação entre as diferentes áreas e a perspectiva interdisciplinar para a construção de conhecimento, tirando partido das diferentes formações dos pesquisadores e estudantes. A experiência que vem sendo propiciada pela Relatoria Especial para o direito humano à água e ao esgotamento sanitário tem facilitado a comunicação com pesquisadores que são referências internacionais, tanto no campo do saneamento, quanto dos direitos humanos e das políticas públicas, o que tem enriquecido a abordagem empregada, ao mesmo tempo internacionalizando o Grupo e sintonizando-o com as mais contemporâneas tendências mundiais no campo. A possibilidade de um trabalho mais integrado e interdisciplinar entre os membros do Grupo tem dado margem a um olhar sobre múltiplos objetos, na perspectiva avaliativa das políticas públicas, da gestão e da percepção da comunidade, propiciando o diálogo entre suas atividades e as demandas do SUS.

Nessa perspectiva, o Grupo desenvolve projetos voltados para as áreas de:

  • Saneamento e saúde ambiental;
  • Formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas e programas de saúde;
  • Direito, saúde e cidadania;
  • Saúde coletiva e subjetividade.