Histórico

O Instituto René Rachou participa na formação de alunos de Mestrado e Doutorado há muito tempo. Na década de 1970, a iniciativa foi liderada pelo Prof. Zigman Brener, através de um convênio firmado com a UFMG. Desde então , apesar de não contar com um programa próprio até o início dos anos 2000, o IRR sempre recebeu alunos de programas de pós-graduação de outras instituições, sendo a maioria da UFMG, da PUC/MG e de unidades da Fiocruz no Rio de Janeiro.

Em 2001, o IRR apresentou à CAPES a proposta para a criação do seu Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde (PPGCS). O Programa estaria vinculado à comissão de avaliação Multidisciplinar da CAPES, devido à diversidade de áreas e de competências dos pesquisadores da Instituição, representadas nas três áreas de concentração propostas originalmente para o Programa:
? Saúde Coletiva (SCO);
? Biologia Celular e Molecular (BCM);
? Doenças Infecciosas e Parasitárias (DIP).

A CAPES aprovou a criação do Programa com conceito 4, e em 2003 foram selecionadas as primeiras turmas de Mestrado e Doutorado.

Durante o primeiro ano do Programa, observou-se que predominava a concentração de projetos da área biomédica e que os estudos interdisciplinares representavam somente 15% do total de projetos desenvolvidos, o que levou à decisão da transferência do Programa para a comissão de avaliação Medicina II da CAPES. Nesta comissão há uma maior afinidade de propostas, campos de atuação e linhas de pesquisa e, portanto, a avaliação seria mais adequada. Assim, realizada a transferência, em sua primeira avaliação trienal pela CAPES o programa demonstrou todo o seu potencial e alcançou o conceito 5.

Em 2011, oito anos após sua criação, o PPGCS passou por uma reformulação. A antiga área de concentração em Saúde Coletiva foi transformada no novo Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (PPGSC). A separação foi fruto de duas demandas, que não poderiam ser atendidas pelo Programa em Ciências da Saúde, nem por qualquer outro Programa de Pós-Graduação em Minas Gerais:
1. O aumento do número de candidatos para a área de concentração em Saúde Coletiva do PPG em Ciências da Saúde.
2. A necessidade de formação de quadros qualificados para o Sistema Único de Saúde em Minas Gerais e, em particular, para a Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG). Essa demanda foi formalmente expressa por meio de um Acordo de Cooperação Técnica entre a FIOCRUZ e a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, através da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais, firmado no final de 2010 (Acordo de Cooperação Técnica FIOCRUZ/ESP-MG Nº 001/2010).

O Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde passa por um momento de transição para adequação ao seu novo formato. Dessa forma, o PPG em Ciências da Saúde permanece com duas áreas de concentração para os alunos que ingressaram até 2015:
? Biologia Celular e Molecular;
? Doenças Infecciosas/Parasitárias.

Para os alunos que ingressarem a partir de 2016, o PPG em Ciências da Saúde oferecerá três áreas de concentração:
? Biologia Celular e Molecular, genética e bioinformática (BCM-GB)
? Doenças Infecto-Parasitárias e crônicas não transmissíveis (DIP- DCNT)
? Transmissores de patógenos (TP)

A necessidade de reformulação refletiu a evolução do Programa e o seu protagonismo em níveis regional e nacional. Este reconhecimento foi confirmado pela última avaliação da CAPES, que conferiu ao programa o conceito 7, reservado aos programas que demonstram um padrão de excelência internacional.

Os comentários estão desativados.